quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Desabafo | Começando pelo primeiro degrau


Olá, pessoal!

Queria compartilhar aqui uma conversa que tive ontem com uma pessoa X e que me deixou um pouco tristinha. Durante o papo, surgiu uma questão "quero muito me dar bem na área que escolhi, mas não sei como fazer isso".

Com essa questão comecei a refletir sobre o que fiz este ano e percebi que muita coisa deu certo (eu pelo menos está caminhando. O blog foi o primeiro passo, depois reativei um projeto antigo que precisava ser reformulado, a Operação Sujeito Livre. Comecei também o Estante coletiva, um projeto que facilita a troca de livros no meu Grupo Escoteiro e finalizei o ano com o que poderá ser o meu a preparação para o meu primeiro livro "As chaves da torre". Além, é claro, de estudar para os vestibulares e tentar passar em Jornalismo, aliás as provas já começaram e estão me deixando louca!

Como consegui tudo isso em um semestre? (o começo do ano foi um desastre) Planejamento! Ter uma ideia e querer algo é importante, mas dar um foco a tudo e colocar em prática é o que vai fazer a diferença. Não adianta ter sonhos lindos se você não der o primeiro passo, se não der uma ajudinha pro acaso. Durante a faculdade de Letras eu ficava lendo as grandes obras da literatura universal sonhando em um dia ser tão boa quanto aqueles caras, mas eu havia esquecido um detalhe: escrever para um dia chegar lá.

"Ah, Renata!", a pessoa X vai falar, "mas eu já corro atrás dos meus sonhos, fico horas e horas praticando pra um dia ser tão bom quanto o Fulaninho Fodão!" Esse é outro problema, não precisamos ser grandiosos para começar nossos próprios projetos, não precisamos ser os melhores para conseguir um espacinho à luz, só precisamos ser vistos. Estou longe de um Machado de Assis, eu sei! Mesmo assim fiz esse blog e o espalho por aí para que todos vejam.

Fulaninho Fodão já fez alguns trabalhos lixos, já teve projetos que falharam, já desejou ser tão bom quanto outro cara, a diferença é que ele continuou. E o segundo projeto foi um pouquinho melhor, consertou alguns probleminhas que achava que precisava consertar e chegou onde chegou. Todo com paciência e calma (e alguns picos de profundo desespero, porque ninguém é de ferro, né?).

"Então, Renata, como eu chego lá?": faça o que te faz bem, faça planos e projetos, conheça o pessoal que está começando e está tão perdido quanto você e, o mais importante, pare de imitar o Fulaninho, ele já fez a própria história, está na hora de você correr atrás da sua!

Um comentário:

  1. Oi, Renata!

    Então você vai prestar jornalismo? Vamos ser colegas de profissão!
    É um curso que te dá uma visão de mundo absurda desde que você vá com sua mente muito aberta. Tenho certeza que vc vai adorar!

    Sobre o planejamento de projetos, colocaria mais uma palavrinha ai: disciplina! Sem disciplina você não consegue fazer nada!

    Bjo.

    sobrepequenasobsessoes.blogspot.com

    ResponderExcluir