terça-feira, 27 de outubro de 2015

Microconto | Ponto de ônibus


O celular de Gustavo marcava três horas. O verão trazia um dia quente e o rapaz não aguentava mais esperar o seu ônibus debaixo daquele sol. O ponto em que estava possuía uma cobertura, mas ela não servia de nada naquele horário, e era preciso apertar os olhos para enxergar os letreiros com dificuldade.

Uma mulher se aproximou e sentou no ponto. Gustavo não teria reparado se a moça não estivesse toda vestida e preto. Ela usava mangas compridas e uma saia que alcançava os pés, estes estavam cobertos com uma bota de mesmo cor das vestes. O rapaz sentiu-se aflito com a visão. Como alguém aguentava usar tal roupa em pleno mês de novembro? O calor em seu corpo aumentava e a mulher parecia não se incomodar. Na verdade, ela nem havia reparado na presença de Gustavo.

Após um tempo ela se levantou e ergueu o braço fazendo sinal, porém nenhum ônibus passava naquele momento. Ficou alguns segundos na beira da calçada com o braço erguido e quando Gustavo olhou novamente, não havia mais mulher, apenas um pássaro preto voando. 

Seu ônibus passou, ele o perdeu.

2 comentários: